Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘literatura’

Adoro poesia. Mas não sou uma daquelas pessoas extremistas que parecem viver em outro planeta graças à uma chata obsessão poética. Tenho poucos e grandes amores na poesia. E definitivamente, minha querida Hilda, é o maior deles.

Hilda Hilst. Ela nasceu em jaú, no interior de São Paulo, em 21 de abril de 1930. Pais divorciados, pai esquizofrênico. Cursou direito na Faculdade do Largo São francisco. Não casou-se ou teve filhos. Foi belíssima, e musa de muitos. Amava a solidão. Vivia afastada da cidade. Tinha dezenas de cachorros. Foi contestadora, antenada, escandalizando a sociedade paulistana de seu tempo.

Sua vasta obra inclui poemas, prosa, peças para teatro, músicas, criticas entre outros. Foi agraciada com uma infinidade de prêmios. Sua obra ganhou o mundo.

Foi amiga de Lygia Fagundes Telles, outra escritora que amo (As meninas, Ciranda de pedra) por toda a vida, como disse a própria Lygia.

Hilda faleceu no dai 4 de fevereiro de 2004, em Campinas, São Paulo.

Vez por outra, vou trazer pra cá algo dela que me toque.


Aflição de ser eu e não ser outra.
Aflição de não ser, amor, aquela
Que muitas filhas te deu, casou donzela
E à noite se prepara e se adivinha
Objeto de amor, atenta e bela.

Aflição de não ser a grande ilha
Que te retém e não te desespera.
(A noite como fera se avizinha)

Aflição de ser água em meio à terra
E ter a face conturbada e móvel.
E a um só tempo múltipla e imóvel

Não saber se se ausenta ou se te espera.
Aflição de te amar, se te comove.
E sendo água, amor, querer ser terra.”

Read Full Post »